Produção de orquídeas em estufas é uma excelente opção de investimento

A orquídea, objeto de desejo que até pouco tempo era privilégio de alguns, se popularizou e está mais acessível, bem ao alcance de todas as pessoas. Veja as vantagens da estufa para orquídeas.

Cultivo de orquídeas em Estufas Agrícolas | Orquidários

A orquídea, objeto de desejo e inspiração de tantas pessoas, que até muito pouco tempo era privilégio de poucos, hoje está de vida nova. Apesar de nada perder em exuberância e delicadeza, ela desceu do patamar, se popularizou e está mais acessível, bem ao alcance de todas as pessoas, principalmente a do gênero phalaenopsi, podendo ser encontrada em pet shops, supermercados, floriculturas, entre outros. A causa de tamanha mudança de comportamento? A queda do preço de comercialização, devido ao grande aumento do número de produtores.

Estufa para Orquídeas Orquidário

Brancas, amarelas, rajadas, rosas e azuis, cada uma mais bela que a outra, diga-se de passagem, as orquídeas são capazes de enfeitar os mais variados ambientes. São fáceis de cuidar, necessitam de água apenas duas vezes por semana, possuem longa duração e florescem a cada seis meses, motivos estes que viabilizam investir na produção e comercialização desta flor.

Mas as vantagens não param por aí: outro fator que favorece o investimento é a avançada tecnologia que vem sendo utilizada para a produção da orquídea. Copiando os passos de Holanda, produtores brasileiros têm feitos mudanças no jeito de cultivar estas flores. Mas, não se engane! Não é porque estão mais populares que o mercado consumidor de orquídea vai estar nais maleável. É muito pelo contrário! Ele está mais cada vez mais exigente. Hoje, para se ter ideia, o lema é: quanto mais flor por haste melhor e quanto mais haste por planta, melhor ainda.

Atualmente, as novas estufas seguem os padrões de tecnologia da Holanda. Elas são mais altas, reproduzem três tipos de sombreamento e comportam 15% a mais de plantas, no mesmo espaço da estufa tradicional. O processo de produção é automatizado, gasta-se menos com a contratação de funcionários e, ainda, consegue-se produzir o dobro de plantas com a metade da mão de obra, além de encurtar o ciclo de produção de 10 para 8 semanas.

A renovação constante do mercado, movimentado pela incessante procura de novas formas e novas cores, faz com que os investimentos no setor sejam cada vez maiores, almejando sempre produtos de qualidade capazes de atender a crescente demanda em todas as suas expectativas.

O cultivo de orquídeas é uma atividade rentável, propícia para pequenas áreas, utilizando sistema simples e pouco investimento

Quanto ao cultivo dessa flor, é impossível estabelecer uma regra única e uniforme para o cultivo de todas as orquídeas, pois elas nascem em qualquer canto e em qualquer temperatura

As orquídeas podem ser encontradas em quase todo o mundo, constituindo uma família de plantas superiores, conhecidas como angiospérmicas. Atualmente, mais de 35.000 espécies de orquídeas já foram descritas e mais de 60.000 híbridos já foram produzidos por cruzamentos de formas espontâneas e cultivadas. Existem orquídeas das mais diferentes formas e tamanhos, podendo ser encontradas plantas que chegam a 4 metros de altura, como podem, também, ser encontradas plantas com flores do tamanho da cabeça de um alfinete, conhecidas como micro-orquídeas.

Estufa para Orquídeas Orquidários

Quanto ao cultivo dessa flor, é impossível estabelecer uma regra única e uniforme para o cultivo de todas as orquídeas, pois elas nascem em qualquer canto e em qualquer temperatura. Entretanto, dividem-se em quatro grupos: as epífitas, as rupícolas, as terrestres e as saprófitas. As epífitas são as plantas que se desenvolvem sobre árvores e por isso muitos acreditam que elas são parasitas, o que não é verdade, já que as orquídeas são capazes de produzir o alimento que necessitam. As rupícolas são plantas que vivem sobre pedras. As terrestres crescem sobre o solo, onde fixam suas raízes e obtêm os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento. As saprófitas são muito raras; elas não possuem clorofila e se alimentam de restos de animais ou vegetais em decomposição.

Em uma flor típica de orquídea há sempre três sépalas: a sépala dorsal e as duas sépalas laterais. São elas que envolvem e protegem a flor em botão. Enquanto que na maior parte das flores elas são verdes, nas orquídeas, as sépalas se apresentam nas mais diversas cores, tão coloridas quanto as pétalas. Nessa planta, pode-se encontrar também 3 pétalas, sendo que uma delas é bem diferente das outras duas, quase sempre maiores e mais vistosas. Esta pétala modificada recebe o nome de labelo, de onde sai o perfume destinado a atrair os insetos polinizadores.

Estufa para Orquídeas

As orquídeas são plantas que exigem locais para o plantio com ventilação e bem iluminados, contudo, protegidos da luz direta do sol. Para florescerem, elas necessitam de luz o dia todo; locais sombrios, de pouca ventilação e pouca luminosidade provocam o enfraquecimento, a perda da cor e o vigor da planta, além de propiciar maior incidência de doenças. Portanto, deve-se, de um modo geral, dar às plantas, cerca de um terço da luz exterior.

Outro fator importante é a temperatura. Para o cultivo comercial de orquídeas, é necessário um local onde a temperatura varie entre 18 e 25 graus centígrados. Se a temperatura exceder essa faixa, haverá inibição do florescimento e afetará a qualidade das folhas e flores. Quanto à umidade relativa do ar, ela deve se manter entre 60 e 80% dentro da estufa.

Quanto às instalações para a produção de orquídeas, elas podem ser cultivadas ao ar livre, sob ripados ou em estufas. Os ripados são muito fáceis e baratos de serem construídos e quase sempre resolvem a questão do local para o cultivo. Esse tipo de instalação é indicado para as regiões de clima quente. Para as regiões frias, a estufa é a mais indicada, pois tem como função básica criar um ambiente mais propício ao cultivo dessa planta.

O retorno financeiro para os floricultores que investem em orquídeas é muito bom, apesar de algumas vezes demandar altos custos de produção, mas é uma atividade propícia para pequenas áreas. As pequenas, médias e grandes empresas do setor têm ajudado a garantir os empregos de milhares de pessoas, transformando-se em uma atividade rentável para o empresário e benéfica para a sociedade.

Para maiores informações, consulte o curso Cultivo de Orquídeas para Fins Comerciais ou Hobby, elaborado pelo CPT – Centro de Produções Técnicas e coordenado pelo Professor Waldyr Fochi Endsfeldz. O curso aborda questões como aspectos botânicos, clima e substrato, fotossíntese e fotoperiodismo, instalação e equipamentos, polinização e hibridação, entre outras.

O cultivo de orquídeas em estufas tem como finalidade criar uma ambiente protegido e controlado, onde se busca chegar a mais próximo das condições ideais para o desenvolvimento das mesmas. As estufas podem cumprir funções simples, como proteção de chuvas e ventos, ou mais sofisticadas, como o controle de temperatura, nível de CO2 e umidade do ambiente.
As estufas mais simples são compostas por uma estrutura de metal ou madeira e cobertas por uma camada de filme plástico e sombrite nas laterais, e as condições do ambiente interno evoluem livremente e sem controle. Estas estufas podem ser melhoradas com a instalação de dispositivos de proteção ou de manejo, buscando maior proteção contra sol e vento, bem como melhoria da ventilação, entre outros.
As estufas mais sofisticadas tentam garantir condições ambientais consideradas ideais para o desenvolvimento satisfatório das orquídeas, podendo ser dotadas de equipamentos de climatização artificiais, tais como ventiladores, aspersores e aquecedores.

Variáveis Ambientais em Estufas para Orquídeas

As variáveis ambientais/climáticas que afetam o desenvolvimento de orquídeas são consideradas as mesmas fora ou no interior de uma estufa. O que torna o ambiente dentro de uma estufa diferente é a capacidade que o mesmo possui para ACENTUAR, ATENUAR OU NEUTRALIZAR estas variáveis. Podemos considerar como variáveis ambientais/climáticas de suma importância para o desenvolvimento de orquídeas, a radiação solar, tanto nas suas componentes direta e difusa, temperatura, umidade do ar e do solo (substrato),nível de CO2, velocidade do vento e precipitação pluviométrica. A proteção contra as chuvas e o vento é o efeito mais imediato num ambiente protegido. A radiação que chega à terra é de natureza direcional, chamada de componente, mas espalhamento provocado pelas múltiplas reflexões ao entrar na atmosfera terrestre faz aparecer uma nova componente denominada difusa. A radiação direta é direcional e provoca a sombra de objetos, enquanto que a difusa é aquela que ilumina o céu em todas a direções.
A cobertura das estufas poderá atuar sobre a intensidade dessas duas componentes, de forma a atenuá-la ou de converter parte da componente direta em difusa. A redução da intensidade luminosa poderá ser feita pela utilização de telas (sombrites) ou filmes plásticos. O nível de CO2 influencia diretamente a capacidade fotossintética, o que reflete em crescimento e desenvolvimento das plantas. Em estufas automatizadas este nível pode ser controlado através de sistemas injetores de CO2.
A temperatura e a umidade do ar são variáveis climáticas de maior importância, uma vez que atuam fortemente sobre a fisiologia dos vegetais e determinam outros aspectos do cultivo de orquídeas, tais como o aparecimento de pragas e doenças. A temperatura e a umidade são variáveis chamadas de acopladas, isto é, a variação de uma provoca a alteração da outra.
Há vários modelos de estufas:
▪ Para plantas comuns, (apenas com finalidade de proteger as espécies).
▪ Para plantas raras, (com um controle maior do ambiente).
▪ Para plantações agrícola ou espécies em estudo, (com fim lucrativos ou científico e portanto, altamente controlada).
Quem mora em apartamento, ou casa sem quintal, a lavanderia envidraçada ou a varanda fechada com vidro podem atuar como uma pequena estufa, e funcionam com um excelente resultado para o cultivo de orquídeas.
E para quem deseja observar a estrutura e funcionamento de uma estufa, tem como alternativa o uso de um aquários grandes, que funcionam como estufa, se for devidamente fechado; No inicio o ideal é começar com plantas que requerem cuidados simples como as cactáceas e suculentas; É importante que a estufa fique em um local que receba luz solar direta, água e adubo.

INFORMAÇÕES PARA CONTATO

A Tropical Estufas está localizada na cidade de Bragança Paulista/SP a 100km dos aeroportos de Cumbica/GUA e Viracopos/CPQ e à mesma distância da capital paulista.

Endereço: Av. Radames Lo Sardo, 542 – São Lourenço, Bragança Paulista – SP, 12908-829

Telefone: (11) 4035-7344WhatsApp: (11) 99634-3628 | Email: [email protected]

WhatsApp Chat
Enviar WhatsApp
Não há produtos